Skip to content

Lei das Terapêuticas não Covencionais

24 de Novembro de 2014

Boa tarde a todos.
Já lá vãos uns anos desde de que actualizo este blog. A verdade é que o tempo nem sempre abunda e às vezes só o peso das circunstâncias nos leva a ollhar para aspectos das nossas vidas que habitualmente descuramos. Fica para mais daqui nada, e daqui nada passam vários anos.
Infelizmente, esta é uma dessas situações. Após anos de infodesleixo, sou “forçado” a recorrer à blogosfera para tratar dum assunto bastante grave.
Não sei e é do conhecimento geral, pelo que uma pequena introdução impõe-se.
Desde de Setembro de 2013 existe em Portugal a lei que veio regulamentar as “Terapêuticas não Convencionais” (doravante referida como Lei nº 71/2013). Esta Lei vem preencher uma lacuna grave na Lei Portuguesa referente à área da Saúde. Sucede contudo que a Lei nº 71/2013 não está completa, remetendo inúmeros aspectos prácticos para futuras Portarias. Pelo que sei este procedimento é normal no processo legislativo. A larga maioria das referidas portarias já foram públicadas em Diário da República, contudo faltam algumas.
Perante as portarias que já saíram, algumas organizações que dizem representar os interesses da classe de Profissionais da Terapêuticas não Convencionais, intrepuseram uma Providência Cautelar para travar todo este processo. Não faço ideia de quais são as motivações por detrás de semelhante iniciativa, nem qual a posição oficial da referida Providência pois ninguém tornou o texto da mesma público. Acho que deveria ser feito quanto antes a fim de assegurar a transparência.
Face a isto, apraz-me dizer o seguinte.
Esta Lei não é perfeita, mas é uma Lei. Defende os profissionais, defende os utentes, defende os futuros profissionais e o seu futuro. Assegura a Saúde Pública por impõe como condição sine qua non a obtenção de grau académico de Licenciatura a todos os Profissionais que queiram exercer as profissões regulamentadas. Assegura que “curiosos” não possam executar certas técnicas e manobras, pois coloca-as sobre a alçada de uma ou várias profissões.
Em causa está a Saúde e Segurança de todos os Utentes das Terapêuticas e o futuro de todos os Profissionais das Terapêuticas não Convencionais (presentes e futuros).
Por esse motivo venho pedir a todos que leiam a petição cujo link apresento a seguir e a assinem. http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT75419

Um grande abraço!
Francisco Ribeiro

Anúncios

Apêndice – afinal não é inútil

25 de Julho de 2013

Um grupo de cientistas norte americanos descobriu qual a função do Apêndice.

Esta estrutura, que durante muito tempo se considerou como um órgão atrofiado, sem qualquer espécie de função útil, afinal tem uma função bastante importante. Segundo o que este grupo de cientistas apurou, o Apêndice serve como cofre forte de bactérias “boas” para reiniciar o fauna intestinal no caso de um ataque severo de cólera ou disenteria. Nestas situações toda a fauna e flora intestinal é expulsa do organismo, ficando então as bactérias presentes no cofre forte de re-popular o intestino grosso.

O artigo que divulga a notícia deixa no entanto uma ressalva. As pessoas que tenham problemas no Apêndice devem à mesma ir ao médico porque o mesmo não desempenha uma função essencial à vida, ao passo que um abdómen agudo pode causar a morte.

Posto isto, resta-me concluir que de facto nada é por acaso na natureza e que por muito que alguns não queiram, tem de haver uma Inteligência Superior a reger o Mundo.

Aqui fica o link para o artigo original

Acidentes e Trauma Vertebral

22 de Julho de 2013

Recentemente uma pessoa da minha família, a minha namorada, teve um acidente de trabalho que poderia ter tido resultados bastante negativos.

Ela estava a subir um lance de escadas atrás de uma outra pessoa que escorregou e caiu-lhe para cima. Como resultado caíram as duas das escadas, parando só no patamar abaixo. Quando cheguei ao local do acidente a minha namorada estava pálida, a sangrar do nariz, sentada com as costas direitas e suportada por uma outra pessoa que entretanto tinha aparecido.

Pedi para ela se deitar, e como tenho algumas noções de socorrismo, iniciei um exame superficial do estado do sinistrado. Reparei que não tinha défices motores nas extremidades nem diminuição da sensibilidade das extremidades. O único sintoma preocupante era a dor ao respirar e dificuldade em respirar.

Devido a esse sintoma decidi que o melhor seria chamar o INEM pois desconfiei de fracturas nas costelas. Como não havia défices motores nem diminuição da sensibilidade descartei comprometimento medular e fractura das vértebras.

Quando foi observada no Hospital foi verificado que:

  • Não havia costelas fracturadas;
  • O sangue do nariz e a dor no tórax deviam-se à pancada da outra pessoa a cair sobre ela e a ficar espalmada entre o chão a pessoa que lhe tinha caído em cima;
  • Tinha ficado com o corpo da 7ª cervical completamente destruído;
  • Tinha fracturado o corpo da 2ª e 3ª dorsais.

Fiquei abismado com este diagnóstico e concluí uma coisa que nunca ninguém me ensinou em socorrismo.

Lá porque um sinistrado não tem défices motores nem diminuição da sensibilidade nos membros, NÃO quer dizer que não haja vértebras partidas.

Partilho isto porque nunca ninguém me ensinou esta possibilidade.

Um Bem Haja!

Francisco Ribeiro

Forças Armadas (Americanas) disponibilizam Acupunctura como tratamento aos soldados

16 de Abril de 2012

Recebi esta notícia no meu e-mail aqui há dias e resolvi partilha-la aqui. Numa altura em que se fala duma regulamentação das “Terapias Não-convencionais” é sempre bom receber notícias destas. Pode ser que os nossos Governantes se inspirem nisto e tenham uma atitude semelhante para o nosso Povo.

http://www.npr.org/2012/02/16/146944270/military-pokes-holes-in-acupuncture-skeptics-theory

A todos um Bem Haja!

Doença de Crohn

28 de Janeiro de 2012

Meus caros amigos, decidi voltar a actualizar este blog por um motivo que não é muito bom, mas faz parte da vida.
Ontem confrontei-me com uma realidade que não esperava encontrar. Apesar de ter um amigo que sofre da “Doença de Crohn” tinha ideia de que esta é uma doença relativamente rara. Fiquei ontem a perceber que não é uma doença que já não é assim tão rara, como está a afectar cada vez mais pessoas. Tive a oportunidade de conversar com uma pessoa que apesar de novo e de ter tido uma vida “saudável” descobriu recentemente que tem esta patologia. Em conversa fiquei confirmei duas suspeitas que tenho há já algum tempo.
A doença de Crohn está ligada ao stress e sofre influência da parte Pulmonar. De facto, e sem grande surpresa para quem é da área da Medicina Chinesa, as afecções do Pulmão estão ligadas às afecções do Intestino Grosso e os problemas de stress causam bloqueios a nível da circulação do Qi que podem dar origem aos sintomas que caracterizam esta doença. O que me marcou, contúdo, foi a confirmação de forma directa por esta pessoa que realmente o stress e uma agressão ao Pulmão (consumo de tabaco) tinham precedido o aparecimento da doença, isto numa pessoa que até ao surgimento da doença não tinha tido problemas de saúde de maior relevo, evitando mesmo a ingestão de comprimidos químicos.

Graças a essa minha conversa fiquei a conhecer um blog, também alojado na WordPress, que fala essencialmente sobre esta doença, blog esse que convido todos a visitar pois contém conteúdos bastante bons sobre a doença e sobre como é viver com a doença.

A todos um Bem Haja!
Francisco Ribeiro

blog: Vencer a Doença de Crohn

Acupunctor como profissão

14 de Janeiro de 2011

Recentemente ouvi uns comentários que a “Acupunctor” tinha sido reconhecido como profissão pelas Finanças. A ser verdade, e já explico as minhas reservas, isto só pode significar duas coisas.

A primeira, é que de alguma forma o Estado reconhece a importância da práctica da Acupunctura, quanto mais não seja a nível da chamada “Economia Paralela”.

A segunda, para mim a mais pertinente, é que este reconhecimento pode ser um passo de no sentido de regulamentar o ensino e práctica da profissão e dessa forma garantir que só pessoas dotadas das competências, quanto mais não seja, académicas, podem exercer e aplicar a Acupunctura.

As minhas reservas prendem-se com um aspecto bastante simples. Apesar de ter pesquisado de forma extensa a WEB, não consegui encontrar nenhuma referência a esse reconhecimento oficial.

Se algum dos leitores souber alguma coisa sobre esse assunto, façam o favor de me informar a fim de o conhecimento chegue a todos.

Um Bem haja e bom fim de semana.

Francisco Ribeiro

este artigo foi escrito de acordo com a forma correcta de escrever em Português. Eu faço desobediência civil ao novo (des)acordo ortográfico

Novo Ano…

2 de Janeiro de 2011

Estamos no chamado “Ano Novo” há cerca de 2 dias… há cerca de 48 horas a Humanidade iniciava a sua histeria colectiva anual de ano novo. Ao som de foguetes, festa, música e muita folia recebemos o novo ano, cheio de promessas de coisas melhores, novas conquistas  pessoais entre outras coisas.

Mas afinal o que significa o novo ano, o que significa esta mudança de calendário? Raras vezes pensamos de como é que utilizamos os 365 dias do ano, mas mais importante ainda, como é que tencionamos utilizar os 365 dias que se seguem no de 2011?

Se desejamos realmente que o próximo ano seja melhor do que este que passou, não podemos continuar com os mesmos hábitos e comportamentos que tivemos até agora. Se desejamos, de forma sincera, que algo melhore para o nosso futuro temos de alterar as nossa maneira de ver e viver a vida.

É muito fácil dizer que o país está mal, que a sociedade está de mal a pior… e o que é que fazemos para alterar isso? A maioria das vezes não fazemos nada. No fundo, o que cada um de nós ambiciona é a mudança da situação externa (sociedade por exemplo) sem a nossa mudança interna. Ainda não percebemos que não podemos ficar à espera que a sociedade mude sem que nós mudemos antes.

E nem por acaso, ao mesmo tempo que estava a escrever este texto, a minha namorada chamou-me para assistir a uma reportagem que estava a ser transmitida pela SIC sobre um grupo de estrangeiros que graças a um Homem que decidiu não ficar parado, vão agora recuperar a dignidade e regressar ao seu país de origem. E mais pertinente ainda, é o facto de ter sido a notícia de abertura do Jornal da SIC. Afinal, ao fim de tantos anos, finalmente temos uma boa notícia a abrir um telejornal, finalmente uma boa notícia é realmente notícia.

Se mais de nós formos capazes de agir em relação ao que está mal, então este novo ano será certamente melhor do que o ano anterior, mas se continuarmos a agir como sempre agimos e funcionar como sempre funcionamos, então 2011 será tão mau ou pior que 2010. A escolha é nossa… Sermos felizes ou sermos infelizes